Sobre Tangará da Serra

Fotografia: Murilo Nicolli
Tangará da Serra é a cidade onde eu vivo. Eu e outras aproximadamente 100 mil pessoas. Quem nasce em Tangará da Serra ou vive por aqui é o tangaraense. O município, criado em 1976, está localizado no Noroeste de Mato Grosso, banhado pelas águas do Rio Sepotuba, um dos principais formadores do caudaloso Rio Paraguai, que por sua vez forma o Pantanal.

Tangará da Serra tem suas origens no finalzinho dos anos 1950 e início dos anos 1960. Paulistas e mineiros foram os primeiros colonizadores a chegar por aqui, à época, um sertão inóspito e quase desabitado. Quase porque por aqui já viviam os nossos nativos da etnia indígena Paresi-Haliti. Antes dos colonos outras frentes passaram por aqui, mas apenas como exploradores: Marechal Rondon e os Bandeirantes Paulistas, por exemplo.

Após a emancipação em 1976, Tangará da Serra viveu e vive um dos maiores crescimentos demográficos e econômicos de Mato Grosso, impulsionada pela agropecuária, pela agroindústria e pelo comércio forte e regionalizado. Atualmente, a quinta maior cidade em população do estado, Tangará da Serra é terra de oportunidades.

Pela prefeitura já passaram inúmeros prefeitos, alguns na condição de interinos, mas os eleitos para tal foram, em ordem cronológica, Thais Bergo Duarte Barbosa, Antônio Porfírio de Brito, Manoel Ferreira de Andrade, Saturnino Masson, Jaime Luiz Muraro, Júlio César Davoli Ladeia, Saturnino Masson (mandato tampão) e Fábio Martins Junqueira.

Tornou-se famosa em 2011 após realizar a primeira eleição indireta para prefeito do Brasil pós-Ditadura Militar. Tem em seu histórico político uma série de escândalos políticos com cassações de dois prefeitos, além de vices e mais de 10 vereadores.

Atualmente o Executivo do Município vive ares de estabilidade com os atuais administradores: Fábio Martins Junqueira (Prefeito do PMDB) e José Pereira Filho (Vice do PT).

Na Câmara Municipal são 14 os vereadores (Em 2015): Romer Japonês (PR) é o Presidente em 2015, Luiz Henrique (PTB), Sebastian Ramos (PROS), Weliton Duarte (PT), Wellington Bezerra (PR), Azenate Carvalho (PMDB), Fábio Brito (PSDB), Professor Vagner (PSDB), Zedeca (PMDB), Dona Neide (PSD), Niltinho do Lanche (PROS), Rogério Silva (PROS), Sílvio Sommavilla (PV) e Maurizan Godoi (PMDB).